16 de setembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
6/07/12 às 20h33 - Atualizado em 29/10/18 às 10h59

Último dia para vacinar contra a poliomielite

COMPARTILHAR

Hoje é o último dia para quem ainda não imunizou seus filhos menores de cinco anos contra Poliomielite. As crianças devem ser levadas a um centro de saúde mais próximo. Até última sexta-feira (29), foram vacinadas 180.968 crianças, o equivalente a 89,5% da população alvo (202.149 crianças). A meta da SES é proteger pelo menos 191.978 meninos e meninos.

Todas as crianças menores de cinco anos devem ser vacinadas. O alerta é da diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, Sônia Geraldes. “A vacina oral leva à proteção coletiva e é muito importante que os pais compareçam aos postos para imunizar seus filhos”, ressalta.

A campanha foi iniciada no dia 16 de junho. Este é o 33º ano de campanhas nacionais de vacinação contra a poliomielite, e o 23º ano sem a doença no país. O último caso de poliomielite no DF foi em 1987.

O objetivo da campanha, de acordo com a diretora de Vigilância Epidemiológica, é manter o Brasil na condição de país certificado internacionalmente para a erradicação da poliomielite, estabelecendo proteção coletiva e a disseminação do vírus vacinal no meio ambiente. “Os países livres da poliomielite precisam manter altas coberturas vacinais contra a paralisia infantil”, destaca a chefe do Núcleo de Imunizações da SES, Rosana Campos.

Considera-se que ainda há risco de reintrodução do polivírus selvagem no Brasil, devido à possibilidade de importação de casos provenientes de países endêmicos ou pela ocorrência de surtos em países não endêmicos que possuem baixas coberturas vacinais. A doença encontra-se erradicada no país desde o início dos anos 90, em virtude do êxito da política de prevenção, vigilância e controle desenvolvida pelos três níveis do Sistema Único de Saúde.

Só não podem tomar a vacina, as crianças com infecções agudas com febre acima de 38º C; imunodepressão congênita ou adquirida (quimioterapia, Aids, drogas imunodepressoras etc.); história de alergia grave a algum componente da vacina. Em caso de dúvida procurar orientação do seu médico. A vacina oral contra a poliomielite é extremamente segura, sendo raras as reações associadas a sua administração.

Poliomielite

A poliomielite ou “paralisia infantil” é uma doença infectocontagiosa viral aguda, caracterizada por quadro de paralisia flácida, de início súbito. O déficit motor instala-se subitamente e a evolução desta manifestação, frequentemente, não ultrapassa três dias. Acomete em geral os membros inferiores, de forma assimétrica, tendo como principais características a flacidez muscular.

Cobertura vacinal de rotina contra Poliomielite:

2008 – 97 %

2009 – 99,7%

2010 – 94,4%

2011 – 95,9

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros